Meteorologia Serra Estrela - Vitor Baia

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Contra a desgraça, Algazarra. "Até Quando"?

Freddy Locks abriu o palco do último dia do Festival Serra da Estrela com boa vibe e os Kumpania Algazarra foram literalmente cansativos (puseram a plateia aos saltos de início ao fim). Os temas de cariz social foram constantes numa noite que culminou com a actuação de Gabriel o Pensador.

A qualidade deste festival assemelhou-se a uma subida até ao cume da serra: a emoção foi crescente e o auge deu-se no último dia.
 Com músicas dedicadas à «cena da economia e dos números», a cada "Ugly Man" (corruptos e «peixes grandes que comem os pequenos»), mas também a quem ama a verdade ("True Love"), Freddy Locks pôs o público a gingar. Depois do reggae veio a euforia e algazarra. Os saxofones e trompetes, o clarinete e a tuba dos Kumpania Algazarra fizeram levantar muito pó no recinto. Com uma atitude incrível e sem perder o fôlego, imprimiram um ritmo frenético - daí terem sido (muito) cansativos! Não há palavra mais apropriada para descrever o concerto do que "Supercalifragilisticexpialidocious". Se
m gaguejar.
 Gabriel o Pensador, a grande atracção deste festival, tardava em subir ao palco. Ao contrário de algumas pessoas, não achei a espera desconfortável: era preciso relaxar os músculos e respirar fundo para desfrutar do concerto do poeta brasileiro da melhor maneira. À semelhança do concerto no Crato no dia anterior, o alinhamento contou com músicas do álbum que está prestes a ser lançado. A confusão nas primeiras filas e os coros em "Nunca Serão" ou "O cachimbo da paz" não constituíram surpresa; momentos surpreendentes deram-se quando Gabriel chamou ao palco um jovem da primeira fila para cantar "Rap do Feio" (o rapaz de 15 anos nasceu no Brasil e este foi o primeiro festival a que assistiu: subir ao palco com um dos seus ídolos foi, certamente, um momento inesquecível - ou o inesperado concretizar de um sonho) e uma atrevida rapariga na música "2345meia78". O concerto termina com "Até Quando?" e mosh. Até quando é que as músicas sobre a degradação da sociedade serão actuais? Até quando é que as denúncias do pensador Gabriel serão completamente verdadeiras?
A DJ residente Cherry Chick e a dupla Johnwaynes tomaram conta do resto da noite. Foi difícil aceitar o fim do festival; eram muitos os que não queriam arredar pé.

O grande inconveniente deste evento foi mesmo o frio. Sendo a temperatura a única desvantagem de um festival na Serra da Estrela, as virtudes são muito mais relevantes: paisagem natural espectacular, acesso a actividades radicais, rio e boas condições no parque de campismo (cheguei a conseguir tomar banho com água quente). Depois de dois anos de interrupção, espera-se que desta vez não faltem apoios e o festival continue a crescer - afinal, é o único festival de Verão da região centro.

Fonte: Sapo On The Hop

Sem comentários: