Meteorologia Serra Estrela - Vitor Baia

  • Como se forma a trovoada - Estamos num período de instabilidade em que os aguaceiros e a trovoada são frequentes e têm intensidade suficiente para provocar alguns estragos localizado...
    Há 5 dias

sábado, 16 de maio de 2020

Manteigas desvia para o apoio social dinheiro que não foi gasto em diversas iniciativas

A Câmara Municipal de Manteigas decidiu canalizar todas as verbas que não foram gastas em iniciativas que esbarraram na pandemia da COVID-19, e em outras áreas que não são prioritárias, para reforçar o Fundo Municipal de Emergência Social. Esmeraldo Carvalhinho, segue o mesmo caminho do seu parceiro de Vila Nova de Poiares que desviou 500 mil euros das festas para o apoio à população e economia.
O presidente da autarquia da Serra da Estrela aponta mesmo como prioridade continuar “a criar postos de trabalho” e manter as taxas de crescimento que se verificavam antes da pandemia. “É absolutamente necessário que todo e qualquer município faça a redefinição das rubricas orçamentais à nova realidade, para mitigar os efeitos da pandemia junto das famílias e das empresas”, afirmou.
O Executivo Municipal de Vila Nova de Poiares, recorde-se, aprovou na última reunião de Câmara uma revisão orçamental de forma a poder reforçar dotações das rubricas necessárias para prestação de apoios sociais e económicos de forma a mitigar ao máximo os efeitos decorrentes da pandemia. O documento foi aprovado com os votos favoráveis dos quatro membros do PS e a abstenção da vereadora do PSD.
O Presidente da Câmara Municipal, João Miguel Henriques, disse que “com esta revisão será possível canalizar verbas que estavam afetas a outras rubricas e que não vão ter execução, como é o caso, por exemplo, da Poiartes e do apoio às Festas de Nossa Senhora das Necessidades, e que serão integralmente encaminhadas para o reforço das rubricas de apoios sociais e económicos”.

Vila Galé abre hotel de Manteigas a 9 de junho

O hotel Vila Galé Serra da Estrela, em Manteigas, vai abrir 9 de junho. A data foi confirmada pelo administrador do grupo hoteleiro, Gonçalo Rebelo de Almeida, em entrevista à TSF. A abertura esteve inicialmente agendada para 27 de março, mas acabou adiada devido à pandemia da Covid-19.
No mesmo dia vai também abrir portas outra nova unidade do grupo, em Alter do Chão, e reabrem os hotéis de Vilamoura, Lagos, Albufeira e Douro. O regresso à atividade será feito com rigorosas regras de segurança e higiene, que passam pela disponibilização de equipamentos de proteção individual, pelo reforço das regras de limpeza e pelo distanciamento social nos hotéis.
Além de máscaras, viseiras e luvas, o Vila Galé vai introduzir «mais frequência de limpeza» nas áreas de contacto sensíveis como «elevadores, terminais de pagamento, restaurantes e bares». Nos quartos será implementada uma «quarentena de 24 horas entre um cliente e outro para permitir melhor limpeza e arejamento» e nos bares e restaurantes haverá «mais espaço entre mesas e cadeiras», assim como «refeições organizadas por horários para garantir que não há fluxos em simultâneo».
Fonte: O interior

sexta-feira, 15 de maio de 2020

Mulheres dinamizam projeto de alojamento com quinta agrícola em Manteigas

Um projeto de alojamento local integrado com quinta agrícola, dinamizado por quatro mulheres, que pretende "a excelência do turismo em altitude no Vale Glaciar do Zêzere", em Manteigas, vai ser inaugurado 'online', no sábado.

Segundo Patrícia Madeira, uma das responsáveis pelo projeto, a Casa Agrícola Francisco Esteves, dinamizadora da iniciativa, tem "um foco empresarial amplo, em áreas intrinsecamente de caráter agrícola e turístico: a fruticultura, a produção de azeite, a destilação de bagaço de uva e de frutos, e a sua casa-museu.

A empresa, que atua na área da agricultura desde 1960 e no turismo desde 2010, tem o seu capital social distribuído exclusivamente no feminino, sendo que Patrícia Madeira, Maria João Ramos e Rita Corte Real formam "o rosto" do projeto turístico, agrícola, integrado e sustentável, com o qual pretendem "continuar a preservar o legado da sustentabilidade herdado do Comendador Francisco Esteves".

"Face ao novo mundo económico e social, o grupo Casa Agrícola Francisco Esteves, Lda., decidiu desenhar uma estratégia ampla e inovadora para a sua esfera de ação, afirmando-se com uma nova marca 'umbrella': 'Comendador Francisco Esteves'", adiantou Patrícia Madeira à agência Lusa.

A quinta Comendador Francisco Esteves "está talhada, pelo frio e pelas cicatrizes deixadas na paisagem pelo Vale Glaciário do Zêzere, o mais antigo vale glaciário da Europa, em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, onde abundam lagos de água muito transparente que convidam ao mergulho".

"Centrando os valores da marca e dos seus produtos na figura ímpar do Comendador e no valor do segredo das gerações, da sustentabilidade e dos saberes e sabores associados, optamos por ousar humanizar a nossa marca, com o rosto do nosso bisavô, o Comendador Francisco Esteves, pois queremos que a marca crie empatia, através de valores que caracterizam o próprio Comendador: carisma, sinceridade, proximidade e dotada da 'arte de bem receber'", explicou.

A empresa criou quatro postos de trabalho e com a estratégia que inicia no sábado "a perspetiva é a de criação de mais postos de trabalho", indicou Patrícia Madeira.

A casa tem capacidade de alojamento para 12 pessoas e, devido à pandemia da covid-19, as responsáveis estão a "enveredar todos os esforços" para que possa obter o selo "Clean and Safe" do Turismo de Portugal.

Patrícia Madeira considera que o projeto é uma "mais-valia" para o concelho de Manteigas, que "está no coração da Serra da Estrela, com o slogan 'Vale por Natureza'".

"Neste cenário e com os ingredientes que temos a sorte de ter é, com toda a certeza, um projeto que traz uma grande mais-valia, mostrando o que temos de melhor para o mundo, através da nossa história, dos nossos sabores, do nosso 'bem receber' tão característico da nossa região", concluiu.

A inauguração 'online' está marcada para sábado, às 16:00, na plataforma Zoom.

A sessão começa com Patrícia Madeira a dar a conhecer a quinta de produção de pêssegos e maçãs, a estratégia de negócio e os objetivos de desenvolvimento, seguindo-se Maria João Ramos que explicará o projeto de turismo local Casa do Comendador.

A encerrar, Rita Corte Real falará da loja que vai abrir brevemente em Manteigas e apresentará a nova imagem da marca nas redes sociais, bem como a nova loja 'online'.


Manteigas vai intensificar promoção do concelho para ser «alternativa às praias» no Verão

Manteigas quer ser uma alternativa às praias este Verão devido às limitações causadas pela pandemia da Covid-19 e vai reforçar a promoção das potencialidades do concelho serrano para captar visitantes nos próximos meses.
«Face à situação que se vive no país não haverá grandes possibilidades de se fazer turismo nas praias e o nosso território, com espaços abertos, no âmbito do denominado turismo de natureza, pode ser uma alternativa às famílias impedidas de fazer praia», disse Esmeraldo Caravalhinho, presidente do município situado no “coração” da Serra da Estrela. Esta é uma das medidas apresentadas no Conselho Empresarial Municipal de Manteigas, que reuniu na quarta-feira, e inclui uma campanha de marketing territorial, «tendo em vista a captação do turismo interno nesta primeira fase através da criação de diversas ações de comunicação», nomeadamente o «fortalecimento ao nível da publicidade do território».
Na sessão, realizada para analisar os efeitos da Covid-19 na economia local, foram explicadas as medidas já adotadas pela autarquia e decididas iniciativas para dinamizar o setor, que passam, nomeadamente, pelo «reforço financeiro do Fundo Municipal de Emergência Social para resolução de situações emergentes da quebra de rendimentos das famílias» e a realização de investimento público, na ordem dos 600 mil euros, «designadamente ao nível da construção de obras municipais por forma a mitigar os efeitos da pandemia na economia local (área da construção civil)».
A Câmara de Manteigas também decidiu aderir à plataforma digital de vendas online “BEIRANOSSA”, apoiada pelos 15 municípios da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela e administrada e desenvolvida pelo NERGA – Associação Empresarial da Região da Guarda.
Fonte: O Interior 

sábado, 25 de abril de 2020

Covid-19: 1º óbito em Manteigas, 7º na Beira Interior

Foi em Manteigas que o mapa epidemiológico da Beira Interior sofreu as maiores alterações na Beira Interior. Naquele concelho registou-se, hoje, o primeiro óbito e mais um caso positivo, atingindo os 7 infetados.

Também Gouveia registou um novo caso de infeção, que segundo o município foi detetado nos testes que estão a ser realizadas aos colaboradores das IPSS. Está também relacionado com o foco de infeção do Lar da Santa Casa da Misericórdia.

De resto, nas últimas 24 horas não se registam outros casos Covid-19 no território, as alterações prendem-se com correções feitas pela ULS Guarda, que fez ajustes consoante a residência correta de doentes, com transferência de casos entre Guarda (18), Gouveia (23), Celorico (8) e Almeida (6).

Na área do ACES Cova da Beira não se registaram alterações, continuando Belmonte sem casos, a Covilhã com 8 e Fundão com 3.

Na área da ULS castelo Branco também não se registaram alterações, tal como em Aguiar da Beira, Mação e Pampilhosa da Serra.

Fonte: Radio covilha

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Ligação Piornos-Torre vai fechar a partir de maio para obras no túnel

A Infraestruturas de Portugal (IP) vai avançar com a obra de reforço do Túnel Rodoviário da Serra da Estrela, no acesso à Torre, num investimento global de 300 mil euros, que obrigará a cortar o trânsito nos dois sentidos.
Em comunicado, a IP adianta que a empreitada já foi consignada e que visa a “reparação das patologias identificadas nas paredes interiores e nas zonas de entrada e saída do túnel, bem como a repavimentação da estrada, por forma a garantir a reposição das condições de circulação rodoviária”.
Escavado no maciço rochoso da Serra da Estrela, este túnel constitui uma das principais vias de acesso ao maciço central da serra e situa-se a uma altitude entre os 1.650 a 1.700 metros, estando sujeito a grandes amplitudes térmicas e a sazonais ciclos de gelo e degelo.
Segundo o referido, os trabalhos têm um prazo de execução de 120 dias e vão obrigar a condicionamentos ao nível do trânsito, por forma a garantir a segurança dos automobilistas e trabalhadores na obra, bem como o bom ritmo dos trabalhos.
A empreitada contempla a limpeza e tratamento das superfícies, a remoção dos fragmentos que apresentem risco de se soltar, a colocação de uma malha de pregagens e cabos metálicos, por forma a sustentar blocos de maior dimensão, bem como a aplicação de uma rede de dupla torção e a sobreposição de uma rede de alta resistência para a contenção os blocos de menor dimensão.
Está igualmente prevista a realização da reabilitação dos sistemas de drenagem e a fresagem e aplicação de pavimento com dupla camada de desgaste e com as características técnicas adequadas às condições, geográficas e climatéricas, onde se situa a via.
Para execução destas obras será necessário cortar o trânsito do dia 4 de maio até ao dia 18 de agosto, entre os Piornos e a Torre, nos dois sentidos.
A informação acrescenta que, como percurso alternativo, “os automobilistas poderão utilizar a EN338 dis Piornos até Manteigas, seguindo depois pela EN 232 até ao entroncamento com a EN339-1 em direção ao Sabugueiro, retomando posteriormente a EN 339/EN338 até à Torre”.
A zona de trabalhos e os desvios de tráfego estarão devidamente sinalizados no local, sendo que a IP já realizou uma reunião com os autarcas das Câmaras de Seia, Manteigas, Covilhã e Gouveia no “sentido de articular os desvios de trânsito necessários.
A IP também salienta que, durante todo o período da intervenção, será garantida a passagem de veículos de socorro e emergência que transitem em missão de urgência.

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Covid-19: Detetado caso em Manteigas que revela transmissão na comunidade

Um dos casos positivos conhecidos ontem em Manteigas, “não tem uma relação direta com bombeiros nem centro de saúde o que significa que provavelmente já haverá contaminação intracomunitária” disse à RCC, Esmeraldo Carvalhinho, presidente da Câmara Municipal de Manteigas, que se mostra preocupado com a situação.

O autarca vinca que a realização de testes é fundamental afirmando que “há coisas que não se compadecem com tolerâncias de ponto e os testes têm que ser feitos hoje, para não se mandar por terra todo o trabalho feito”. Avança que ainda hoje durante serão testados os idosos do lar da Santa Casa da Misericórdia de Manteigas e os familiares e acompanhantes dos casos positivos.

“Há que avançar rapidamente para o rastreio dos mais frágeis e não podemos esperar que uns sejam feitos hoje e outros segunda-feira, porque hoje já é tarde”, vinca Esmeraldo Carvalhinho, salientando que “se, nas listagens, alguns municípios aparecem sem casos, provavelmente é porque ainda não houve possibilidade de rastrear a população”.

O presidente deixa ainda o conselho de que “se faça um rastreio inicial para chegarmos a uma conclusão lógica”.