Meteorologia Serra Estrela - Vitor Baia

  • Mais calor durante a semana - O tempo quente teima em manter-se por cá, apesar de já estarmos no Outono vamos ter mais calor durante a semana. Tempo de autêntico Verão com as temperat...
    Há 1 dia

Município de Manteigas promove caminhada pela Rota do Carvão

A iniciativa irá decorrer no próximo dia 25 de setembro. As inscrições devem ser efetuadas até dia 22.

O encontro está agendado para as 8h25, junto à Câmara Municipal, onde será efetuado o transporte até às Penhas Douradas, local onde terá início a caminhada de aprixoximadamente 15 km.

As inscrições gratuitas, mas obrigatórias de vem ser efetuadas, até ao próximo dia 22, através dos seguintes contactos: gtflorestal@cm-manteigas.pt ou 961937977.

A Rota do Carvão conta uma parte da história de Manteigas, intimamente relacionada com a pastorícia, o centeio e a floresta. Na zona de maior altitude do percurso, além do aproveitamento dos pastos naturais para o gado, que ainda hoje é aí pastoreado, era produzido carvão para venda na Vila de Manteigas através da queima da raiz da urze, popularmente designado de borralho.

A beleza da paisagem natural que o percurso proporciona é comprovada pela presença de Matos e Matagais e por Florestas de Folhosas, em contraposição com as esculturas naturais concebidas nas escarpas rochosas, como a Fraga da Cruz – majestoso cabeço granítico, o Fragão do Corvo e a Pedra Sobreposta.

Este percurso, além de atravessar as Penhas Douradas – imagem: carvao_2.png pequena aldeia de montanha que teve a sua origem no tratamento em altitude de doenças do foro respiratório, dá a conhecer a Nave da Mestra – depressão topográfica que apresenta um largo plano rodeado por um maciço granítico muito fracturado. O privilégio de se conhecerem estes locais é completado pelo Vale das Éguas, pelo espelho de água do Vale Rossim, pela Charca do Perdigueiro, pela panorâmica incrível para o Vale Glaciar e para o acumular de serras que se estendem até Espanha.

O percurso engloba também o Observatório Meteorológico das Penhas Douradas, construído há mais de um século para monitorizar as condições meteorológicas da região.

Ao percorrer o andar basal, intermédio e superior da Serra, o trilho apresenta uma enorme variedade de vegetação e fauna. O salgueiro-branco, o plátano-bastardo, o cervum, a consolda-vermelha, o jacinto dos campos, a faia, o castanheiro e o carvalho-negral compõem parte do conjunto da vegetação. Realça-se o valor da tramazeira, do zimbro e do vidoeiro, devido à sua raridade em Portugal. Também é possível encontrar a caldoneira que detém o estatuto de conservação pela Directiva Habitats.

O leque de espécies animais é imenso e extremamente variado. Neste traçado habitam o javali, a raposa, a toupeira, o ouriço-cacheiro e a lebre. Quanto aos répteis, o sardão e a lagartixa-do-mato estão presentes. As linhas de água fomentam a existência de anfíbios como a rã-iberica, a rã-verde e o lagarto-de-água. O peneireiro, a coruja das torres e o tartaranhão-caçador são as aves que dominam os altos imagem: carvao_4.png céus da Rota do Carvão. Com menor porte, temos o melro-azul, o melro das rochas, o andorinhão-preto e o guarda-rios.

Manteigas, Vale por Natureza.


Fonte:  Município de Manteigas 
Facebook: Manteigas O Coracao da Serra da Estrela
Beira.pt 
 

Dia Europeu Sem Carros! - Manteigas 2016


Pela melhoria da qualidade de vida e sustentabilidade dos recursos naturais, celebremos o Dia Europeu Sem Carros! A ação decorre no próximo dia 22 de setembro, quinta-feira, e insere-se na Semana Europeia da Mobilidade, cujo tema em 2016 é: "Mobilidade inteligente. Economia forte". Manteigas?
Manteigas, Vale por Natureza.

Fonte: Facebook: Manteigas O Coracao da Serra da Estrela

Serra da Estrela reivindica meios mecânicos para acesso à torre

Autarcas e outros intervenientes defenderam a necessidade de se criar uma alternativa aos acessos rodoviários para o maciço central da Serra da Estrela, designadamente com a aposta em meios mecânicos.


Autarcas, empresários, operadores turísticos e outros intervenientes defenderam, esta sexta-feira, a necessidade de se criar uma alternativa aos acessos rodoviários para o maciço central da Serra da Estrela, designadamente com a aposta em meios mecânicos, como as telecabines ou os teleféricos.

A reivindicação foi apresentada durante o debate hoje organizado pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) com o objetivo de analisar a problemática dos acessos à Torre.

O debate reuniu vários políticos e representantes de entidades relacionadas com a Serra da Estrela e, no que aos acessos diz respeito, incidiu muito sobre a problemática do encerramento das estradas na época de inverno.

Sublinhando que nunca deve ser posta em causa a segurança e que a Serra da Estrela tem efetivamente particularidades a ter em conta, nomeadamente a proximidade da costa Atlântica que faz com que a neve gele mais rapidamente, os autarcas também defenderam que se deve apostar no projeto das telecabines para resolver esse problema.

“A solução dos meios mecânicos tem de ser levada em consideração porque é a que melhor resposta pode dar e é também a que reúne mais vontades”, sublinhou o presidente da Câmara Municipal de Seia, Filipe Camelo.

Uma opinião partilhada pelos presidentes das Câmaras da Covilhã e de Manteigas, Vítor Pereira e José Manuel Biscaia, respetivamente, que lembraram o facto de esta ser também a solução mais amiga do ambiente.

Vítor Pereira lembrou, aliás, que esse projeto permitiria reduzir significativamente o número de veículos que anualmente atravessam a Serra da Estrela: cerca de 290 mil que são responsáveis por a emissão de uma média de 1.78 de Co2.

Segundo sublinhou, tal permitiria também reduzir as mais de mil toneladas de sal usadas anualmente na limpeza e desbloqueamento das estradas e cujo impacto ambiental também é significativo, nomeadamente para os cursos de água.

Indo ao encontro da opinião dos autarcas, a Turistrela — empresa concessionária do Turismo da Serra da Estrela – aproveitou para apresentar um projeto de mobilidade que já tem delineado e que prevê exatamente a implementação de três telecabines que, partindo de diferentes zonas, permitiriam a ligação à Torre.

O projeto, que em termos globais ultrapassará um investimento de cerca de 35 milhões de euros (a realizar faseadamente), prevê uma telecabine na zona do Covão do Ferro (perto da Nave de Santo António), outra na zona da Lagoa Comprida e outra a partir de Alvoco da Serra.

“Este não é um projeto fechado, pode ainda acolher outros contributos e parcerias que nos ajudem a potenciar esta mais-valia que é a Serra da Estrela”, sublinhou o administrador da Turistrela, Artur Costa Pais.

Em declarações à Lusa, este responsável garantiu que a questão do financiamento não é o maior entrave ao projeto, já que poderá ser garantido com capitais próprios, parcerias e recurso a fundos estruturais.

Em contrapartida, assumiu preocupação no que concerne às “questões administrativas”.

Segundo referiu, nas abordagens informais que têm sido realizadas, o “feedback” que tem obtido por parte do Parque Natural da Serra da Estrela não tem sido o mais positivo.

Ainda assim, o projeto já foi apresentado à tutela em duas reuniões e nos próximos dias voltará a ser analisada, numa reunião que já está agendada com a Secretaria de Estado do Ordenamento do Território, segundo disse o presidente da Câmara da Covilhã.

Para o Governo, serão ainda encaminhadas outras reivindicações, como a da concretização do IC6, IC7 e IC37 ou até da construção dos túneis da Serra da Estrela, questões que, todavia, já não reúnem unanimidade junto dos autarcas.

Referindo que sempre foi adepto da solução dos túneis, a qual considera ser a mais barata, o presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro, alertou para o risco de as revindicações rodoviárias em causa não serem acolhidas por excesso.

“A determinada altura, no primeiro governo de José Sócrates falou-se disso (…). Disse muitas vezes ‘ não, não’. Três é muito, é caro e nem é preciso. Conclusão, não temos nenhum porque queríamos os três”, disse.

Alguns intervenientes também abordaram a necessidade de se criarem mais bolsas de estacionamento e zonas de inversão de marcha, bem como de haver um reforço dos meios do centro de Limpeza de Neve com vista à agilização da limpeza das estradas.

Presente no debate, o responsável pelas relações institucionais da Infraestruturas de Portugal (IP), Carlos Rodrigues rejeitou as críticas respeitantes à demora da reabertura das estradas e garantiu que nem com o dobro dos meios se conseguiria melhorar a eficiência, devido às características da neve da Serra da Estrela.

Este responsável adiantou ainda que os custos Operacionais do Centro de Limpeza de Neve são de cerca de 500 mil euros anuais e relembrou que a questão a segurança é o que mais pesa na hora em que se decide abrir ou fechar a estrada.

Defendeu que “mais importante do que subir é descer” e que a IP continuará a trabalhar para que as estradas da Serra da Estrela se mantenham entre as vias nacionais que registam menos sinistralidade.

Fonte: Observador.pt 
 

CIM-BSE debate acessos à Torre em dias de neve


Assembleia da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela vai promover um debate na Torre sobre os acessos ao maciço central.

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) organiza amanhã, dia 9, pelas 10 horas, no Auditório da Torre, na Serra da Estrela, um debate sobre os acessos ao maciço central da serra.

Segundo o comunicado, o Ministro das Infraestruturas de Portugal, Pedro Marques é um dos convidados para participar neste debate para o qual estão também convidados os Presidentes de Câmara e deputados da CIM das Beiras e Serra da Estrela, Presidentes de Juntas de Freguesia, Turistrela, Turismo do Centro, empresários, forças policiais e de Proteção Civil, entre outros.

“Esta será uma jornada de elevada importância e uma oportunidade para juntar vários intervenientes e procurar respostas para um problema que prevalece há várias décadas e com consequências para a imagem e economia da região. Com as alterações climáticas, tem diminuído de forma acentuada a queda de neve na serra da Estrela, mas mesmo assim, sempre que cai neve, são cortados os acessos ao maciço central, impedindo o acesso das pessoas àquele ponto” refere a nota de imprensa.

“O que fazer então para promover a mobilidade na única estância de esqui em Portugal?” Este é o desafio do debate que a Assembleia da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela vai realizar na Torre, a quase dois mil metros de altitude.

Fonte:  Beiras.pt
 

Festa em Honra de Santa Eufémia - Sameiro - Manteigas 2016


FESTA EM HONRA DE SANTA EUFÊMIA SAMEIRO
Serra da Estrela – Manteigas

Do dia 07 ao dia 15 de Setembro, as 20h30, novena preparatória

DIA 16 – 6º FEIRA
19h00 – Repique dos sinos
20h30 – Eucaristia da Memória de Santa Eufêmia

DIA 17 – SÁBADO
08h30 – Repique de Sinos
21h00 – Eucaristia, Procissão de Velas, seguida de descarga de fogo de artifício
23h30 – Abertura do arraial com o Grupo "RENOVAÇÃO 3"

DIA 18 – DOMINGO
10h00 – Içar da Bandeira com a Filarmónica Popular Manteiguense – Música Nova
12h00 – Procissão da Capela para a Igreja Matriz
12h30 – Missa Solene cantada pela FPM – Música Nova
16h30 – Recitação do Terço
17h00 – Procissão em honra da Virgem Mártir Santa Eufêmia e Adeus
- Arrematação de Ofertas / Campo de Festas
- Concerto pela FPM – Música Nova / Campo de Festas
Inicio da atuação do conjunto musical “JOVISOM”
19H00 - Rancho Folclórico
20H00 – Continuação do Conjunto Musical “JOVISOM”

DIA 19 – 2ª FEIRA
14h00 – Jogo de futebol Solteiros vs Casados; (no campo de futebol 11)
21h00 – Eucaristia e Procissão da Igreja para a Capela de Santa Eufêmia e Encerramento dos Festejos


A comissão de Festas não se responsabiliza por qualquer incidente que possa ocorrer durante os festejos.


Mais Info: https://www.facebook.com/santa.eufemia.sameiro

Televisão Digital Terrestre (TDT) em Sameiro uma historia sem fim!!

Quatro anos depois de ser implementado o serviço de Televisão Digital Terrestre, a aldeia de Sameiro já se "habituou" ver televisão só pode ser em dias com bom tempo, quando as condições climatéricas não ajudam o sinal apresenta falhas no som, na imagem, e interrupções prolongadas da emissão.

Em pleno mês de Agosto a historia é outra, Sameiro já soma terceiro dia consecutivo que a TDT não emite qualquer sinal!!

A solução tem saído mais cara e passa por subscrever serviço de televisão por cabo que não esta as possibilidades de todos!

Relembramos que em 2012 na altura do apagão analógico a Câmara Municipal de Manteigas como ex autarca Esmeraldo Carvalhinho investiu cerca de 15 mil euros na aquisição de equipamentos para retransmissão de sinal terrestre «para evitar que cada habitante tivesse antenas parabólicas nas varandas e nos telhados das habitações», preservando a paisagem do seu concelho, totalmente integrado no Parque Natural da Serra da Estrela.

O reforço feito pela PT no concelho, onde os habitantes só teriam acesso às emissões via satélite, garantiu a cobertura das duas freguesias urbanas com sinal terrestre.

As zonas que ficaram de fora na cobertura garantida pela empresa - freguesias rurais de Sameiro e de Vale de Amoreira - tiveram o acesso à TDT assegurado pela autarquia. «Em Sameiro é feita a retransmissão do sinal por via terrestre (Zona da Samela, distancia em Linha reta 2km), e em Vale de Amoreira a receção é feita via satélite e é depois feita a retransmissão para toda a aldeia, por via terrestre (Zona do Cruzeiro, distancia em Linha reta 200m)».

Blogue Sameiro 

Despiste de camião provoca um morto no Sameiro (Manteigas)

Um homem morreu esta quarta-feira na sequência do despiste de um camião ocorrido no concelho de Manteigas, distrito da Guarda, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).





O despiste do pesado de mercadorias ocorreu cerca das 09h50, na localidade de Sameiro, indicou a fonte.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Manteigas e uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que atestou o óbito no local.

Fonte: Beira.pt

Centro Social e Paroquial de Sameiro encerrado


No passado dia 31 de Julho o Centro Social e Paroquial de Sameiro fechou portas. Alegadamente a ultrapassar dificuldades financeiras devido há falta de receitas e de utentes, esta instituição cessou as suas funções 12 anos depois da abertura deixando 5 funcionários sem emprego.

O serviço de Apoio Domiciliário será garantido a quem desejar pela Associação de Melhoramentos de Vale de Amoreira (AMVA).
 

78ª Volta a Portugal - 6ª Etapa | 03 de agosto 2016 | Belmonte >>> Guarda - 173,7 km

Arranque da segunda metade da Volta com quase 174 KM é vincado sobretudo pela passagem na Covilhã e pela subida às Penhas da Saúde e à Torre, esta última caracterizada, como sempre, por uma contagem de Categoria Especial.Para compensar o esforço da subida, os corredores descem logo depois à Lagoa Comprida seguindo por Seia, de onde voltam a escalar a serra pelo Sabugueiro até passar novamente na Torre onde haverá uma segunda contagem de Montanha Especial. Sem tempo para recuperar energia, o trajeto seguirá depois na direção de Piornos e Manteigas, passando pela Albufeira da Barragem do Caldeirão antes de terminar na Guarda.
MAPA
 ALTIMETRIA
 HORÁRIO
Mais Info: 78ª Volta a Portugal - 6ª Etapa | 03 de agosto 2016 | Belmonte >>> Guarda - 173,7 km


Manteigas pede intervenção florestal no Parque da Serra da Estrela

O presidente da Câmara Municipal de Manteigas lamentou hoje a "enorme perda ambiental" provocada pelos dois incêndios que deflagraram no fim de semana naquele concelho e reivindicou uma intervenção florestal no Parque Natural da Serra da Estrela (PNSE)


"Tenho-o dito sucessivamente: é preciso fazer uma intervenção muito concreta. Não se trata de deitar abaixo por deixar abaixo, mas efetivamente vimos verificando que as coisas não estão bem de certeza absoluta e, por isso, deixo aqui o apelo ao ICNF [Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas] e aos baldios para equacionarem um estudo de gestão e planeamento florestal que não está feito", disse José Manuel Biscaia, em declarações à agência Lusa.

O autarca defendeu que é importante "fazer um estudo e a consequente intervenção no terreno relativamente às espécies arbóreas", optando pela "gradual substituição das espécies resinosas a favor das espécies folhosas ou outras que, de alguma maneira, evitem ou pelo menos minimizem os efeitos sempre que há um incêndio".

Lembrando que quando há fogos nesta zona "os impactos e perdas são incontáveis", quer em termos do património ambiental, quer nos reflexos do ponto de vista turístico, José Manuel Biscaia apelou a todos para que "tenham o máximo cuidado" no sentido de evitarem situações como as do fim de semana.

O autarca referiu igualmente que não acredita que os incêndios tenham tido origem natural.

"É uma lástima que estas coisas aconteçam, até porque temos a sensação nítida e clara de que não terá sido por causas naturais", disse, apontando a hora e local em que os fogos eclodiram como fundamentos desta "convicção".

No último fim de semana deflagraram dois grandes incêndios neste concelho, os quais já foram dados como dominados, mas ainda mobilizam meios.

O primeiro começou no sábado, às 13:05, numa zona de mato no vale glaciar de Manteigas, também Parque Natural da Serra da Estrela, e foi dado como dominado no domingo de manhã.

De acordo com informação disponível na página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), às 13:00 de hoje mantinham-se nas operações de rescaldo 97 operacionais, auxiliados por 27 viaturas.

O outro incêndio deflagrou no domingo, às 09:35, na freguesia do Sameiro, e foi dado como dominado hoje às 09:55. No local permanecem 372 operacionais, auxiliados por 116 veículos e dois meios aéreos.

Fonte:  Noticias ao Minuto

Dominado incêndio em Sameiro, no Parque Natural da Serra da Estrela

“Orografia do terreno e os afloramentos rochosos que caracterizam o Parque Natural da Serra da Estrela” foram as principais dificuldades encontradas no combate, dizem os bombeiros.


O incêndio que deflagrou no domingo na freguesia de Sameiro, no concelho de Manteigas, distrito da Guarda, foi dado como dominado na manhã desta segunda-feira, disse à agência Lusa fonte dos bombeiros.

Segundo a fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) da Guarda, o fogo foi dado como dominado às 09h55.

O incêndio começou às 09h35 de domingo e chegou a ter três frentes ativas, duas das quais dominadas durante a noite.

Ao início da manhã, o fogo mantinha uma frente ativa que queimava essencialmente uma zona de mato, como explicou à Lusa o comandante operacional do Agrupamento Distrital Centro Norte, António Ribeiro.

Segundo adiantou, a “orografia do terreno e os afloramentos rochosos que caracterizam o Parque Natural da Serra da Estrela” foram as principais dificuldades encontradas no combate.
O concelho de Manteigas já tinha sido atingido no fim de semana por outro incêndio que começou ao início da tarde de sábado na localidade de São Pedro.

Outro incêndio que deflagrou, no sábado, numa zona de mato no vale glaciar de Manteigas, no Parque Natural da Serra da Estrela, já se encontra em fase de rescaldo.

Às 10h30, a ANPC registava ainda mais nove incêndios ativos que estavam a ser combatidos por quase 300 operacionais e 80 meios terrestres.

Fonte: Observador
Videos: Tvi24
Para ver outras noticias Clique em MENSAGENS ANTIGAS